Exportações de cooperativas registram aumento de 9,5% em 2013

 

Brasília (25 de setembro) – As cooperativas brasileiras exportaram US$ 4,206 bilhões nos primeiros oito meses de 2013, o que representou valor recorde para as vendas, com crescimento de 9,5% em relação ao mesmo período de 2012 (US$ 3,842 bilhões) na série histórica do segmento. A participação do setor foi de 2,7% no total das exportações do Brasil no período (US$ 156,654 bilhões).

Nas importações, de janeiro a agosto de 2013, houve crescimento de 23% em relação ao mesmo período de 2012. As compras passaram de US$ 224 milhões para US$ 275 milhões (0,2% do total Brasil – US$ 160,422 bilhões).

O saldo da balança comercial das cooperativas está positivo em US$ 3,930 bilhões em 2013, valor 8,6% acima do resultado de 2012, quando houve superávit de US$ 3,618 bilhões. Já em relação à corrente de comércio, no período comparativo, o desempenho foi de US$ 4,482 bilhões, com crescimento de 10,2% sobre o ano passado, quando atingiu US$ 4,066 bilhões.

Exportações

Entre os principais produtos exportados pelas cooperativas, no acumulado de 2013, destacam-se: açúcar refinado (com vendas de US$ 783,9 milhões, representando 18,6% do total exportado pelas cooperativas); soja em grão (US$ 542 milhões, 12,9%); carne de frango (US$ 496,2 milhões, 11,8%); farelo de soja (US$ 468,5 milhões, 11,1%); e café em grão (US$ 437,6 milhões, 10,4%).

As vendas externas das cooperativas alcançaram, no período, 137 países. O número é superior ao registrado no mesmo período do ano passado, de 132 países. Os maiores volumes de exportações do segmento tiveram como destino: China (vendas de US$ 607,6 milhões, representando 14,5% do total); Estados Unidos (US$ 465,7 milhões, 11,1%); Emirados Árabes Unidos (US$ 351,5 milhões, 8,4%); Países Baixos (US$ 263,1 milhões, 6,3%); e Alemanha (US$ 231,9 milhões, 5,5%).

Entre os estados brasileiros, São Paulo foi o estado com maior valor de exportações de cooperativas, US$ 1,444 bilhão, representando 34,3% do total das vendas ao mercado externo. Em seguida aparecem: Paraná (US$ 1,208 bilhão, 28,7%); Minas Gerais (US$ 422,2 milhões, 10%); Santa Catarina (US$ 307,9 milhões, 7,3%); e Mato Grosso do Sul (US$ 274,3 milhões, 6,5%).

Importações

Os principais produtos importados pelas cooperativas, entre janeiro e agosto deste ano, foram: malte não torrado, inteiro ou partido (com compras de US$ 36 milhões, representando 13% do total importado); cevada cervejeira (US$ 35,6 milhões, 12,9%); cloretos de potássio (US$ 28,5 milhões, 10,3%); feijões comuns, pretos, secos, em grão (US$ 15,9 milhões, 5,8%); e diidrogeno-ortofosfato de amônio (US$ 12,7 milhões, 4,6%).

As importações das cooperativas foram originárias de 47 países no período, o mesmo número verificado no acumulado mensal do ano passado. Os principais fornecedores para o setor brasileiro foram: Argentina (compras de US$ 59,4 milhões, representando 21,5% do total); Paraguai (US$ 38,2 milhões, 13,9%); Alemanha (US$ 21,4 milhões, 7,7%); China (US$ 20,3 milhões, 7,4%); e Rússia (US$ 17,5 milhões, 6,3%).

Os estados que mais adquiriram insumos e demais produtos, no período, foram: Paraná (US$ 177,5 milhões, representando 64,3% do total das importações); Santa Catarina (US$ 41,7 milhões, 15,1%); São Paulo (US$ 25,6 milhões, 9,3%); Rio Grande do Sul (US$ 18,6 milhões, 6,8%); e Goiás (US$ 8,3 milhões, 3%). Fonte: MDIC


Rua Oscar Sperb, 16 - CEP 93415-395 - Novo Hamburgo (RS)
Telefone: (51) 3396-5100 / Fax: (51) 3396-5101 e (51) 3396-5102
E-mail: comercial@seifo.com.br
2017 - Seifo - Todos os direitos reservados! Desenvolvimento de Sites em Novo Hamburgo (RS) e Vale dos Sinos