Terceira semana de setembro tem superávit de US$ 591 milhões

 

Brasília (23 de setembro)  - A balança comercial da terceira semana de setembro, com 5 dias úteis (de 16 a 22/9), fechou com exportações de US$ 5 bilhões (média diária de US$ 1 bilhão) e importações de US$ 4,4 bilhões (média diária de US$ 882,2 milhões). Como resultado da diferença entre as exportações e as importações, o saldo comercial foi positivo em US$ 591 milhões (média diária de US$ 118,2 milhões). A corrente de comércio – somadas de exportações e importações – foi de US$ 9,4 bilhões (média diária de US$ 1,88 bilhão).

No ano, as exportações totalizam US$ 171,6 bilhões (média diária de US$ 938 milhões) e as importações, US$ 173,9 bilhões (média diária de US$ 950,3 milhões). Em consequência, o saldo comercial está negativo em US$ 2,262 bilhões (média diária de menos US$ 12,4 milhões).

Semana

A média das exportações da terceira semana foi 0,1% acima da média de US$ 999,2 milhões registrada nas duas primeiras semanas de setembro, devido ao aumento nas exportações de produtos semimanufaturados (9,6%) - motivado pelo aumento nas vendas de açúcar em bruto, celulose, óleo de soja em bruto, ferro-ligas, alumínio em bruto e ferro fundido -, e manufaturados (1,8%), em razão de óleos combustíveis, suco de laranja, máquinas para terraplanagem, pneumáticos e hidrocarbonetos. Por outro lado, diminuíram as vendas de básicos (-2,2%), por conta, principalmente, de soja em grão, petróleo em bruto, milho em grãos, farelo de soja e carne bovina.

Do lado das importações, houve retração de 2,8% sobre igual período comparativo, explicada, principalmente, pela queda nos gastos com equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, químicos orgânicos/inorgânicos, plásticos e obras e siderúrgicos.

Mês

No mês, as exportações somam US$ 14,9 bilhões (média diária de US$ 999,6 milhões) e as importações, US$ 13,4 bilhões (média diária de US$ 899,1 milhões). Nas exportações – comparando as médias até a terceira semana de setembro com a de setembro de 2012 (US$ 1 bilhão) -, houve retração de 5%. A razão foi a queda das vendas externas de produtos manufaturados (-14,4%), em razão de açúcar refinado, etanol, motores e geradores, autopeças, óxidos e hidróxidos de alumínio, pneumáticos, máquinas para terraplanagem e veículos de carga) e semimanufaturados (-4,8%), pelas quedas de açúcar em bruto, ferro fundido, ouro em forma semimanufaturada, ferro-ligas, semimanufaturados de ferro/aço e alumínio em bruto). Por outro lado, cresceram as vendas de básicos (2,4%), por conta, principalmente, de soja em grão, petróleo em bruto, carne bovina, minério de cobre e farelo de soja).

Na comparação com agosto de 2013 (média diária de US$ 973,8 milhões), a média das exportações por dia útil dessas três primeiras semanas de setembro aumentou 2,6%, devido ao crescimento de produtos básicos (5,6%) e semimanufaturados (6,2%), enquanto decresceram as exportações de manufaturados (-1,8%).

Nas importações, a média diária até a terceira semana de setembro deste ano ficou 2,1% abaixo da média de setembro do ano passado (US$ 918,2 milhões) e 2,1% inferior a de agosto último (US$ 918,1 milhões). No comparativo com setembro de 2012, diminuíram os gastos, principalmente, com farmacêuticos (-22,8%), instrumentos de ótica e precisão (-4,8%), siderúrgicos (-4,1%), combustíveis e lubrificantes (-3,0%), equipamentos mecânicos (-2,6%) e químicos orgânicos/inorgânicos (-2,4%). Em relação a agosto de 2013, houve queda, principalmente, nos produtos: farmacêuticos (-26,4%), veículos automóveis e partes (-9,7%), siderúrgicos (-5,6%), químicos orgânicos/inorgânicos (-3,2%) e adubos e fertilizantes (-2,8%). Fonte: MDIC


Rua Oscar Sperb, 16 - CEP 93415-395 - Novo Hamburgo (RS)
Telefone: (51) 3396-5100 / Fax: (51) 3396-5101 e (51) 3396-5102
E-mail: comercial@seifo.com.br
2017 - Seifo - Todos os direitos reservados! Desenvolvimento de Sites em Novo Hamburgo (RS) e Vale dos Sinos